Córtex Cerebral e Suas Camadas


Camadas de fibras nervosas do córtex
I. Camada molecular
II. Camada granular externa
III. Camada piramidal externa
IV. Camada granular interna
V. Camada ganglionar
VI. Camada fusiforme
(Modificado de Bear e cols., 1996)
O cérebro do homem, cortado em uma fatia, apresenta uma camada externa de cor cinzenta (formada em sua maior parte por corpos celulares), chamada córtex cerebral. O córtex cobre inteiramente os dois hemisférios.

Um corte em profundidade no cérebro mostra que a superfície cinzenta tem uma espessura que varia de 1 a 4 mm. A maior parte é composta por células nervosas (neurônios) que recebem impulsos dos pontos mais distantes do corpo e os retransmitem ao destino certo. Mas o cérebro desempenha funções altamente diversificadas e, por isso mesmo, as células que os constituem, também são especializadas. Tipos diferentes de neurônios



distribuem-se em camadas dentro do
córtex, em arranjos que caracterizam as diversas áreas dos hemisférios cerebrais, cada uma com suas funções.

As camadas específicas são compostas por grupamentos de neurônios de váris tipos, entre os quais se destacam as células piramidais, de forma característica. Pequenas, médias, grandes e gigantes, as células piramidais constituem a maior parte da terceira e quinta camadas. Outro tipo de células, semelhante às formações granulosas, as células granulares existem em todas as camadas, mas, em maior quantidade na terceira e na quarta. O terceiro aspecto típico dos neurônios do córtex são as células fusiformes, característica da sexta camada.

Mas estas células não estão sozinhas no córtex; os prolongamentos celulares se estendem, estabelecem ligações e relacionam-se aos inúmeros grupos de fibras que percorrem toda a região. Algumas fibras chegam e saem do córtex, trazendo e levando impulsos nervosos. Outras fibras, tangenciais, dispõem-se em sentido paralelo à superfície cerebral e são responsáveis por ligar as áreas do córtex entre si. Essas fibras distribem-se pela espessura do córtex, aglomeradas em determinadas áreas.

Fibras de várias procedências, em cadeia, chegam ao córtex e se ramificam como os galhos de uma árvore. Estabelecem contato com diferentes células corticais, por meio de diversas sinapses (ligações entre neurônios). Assim, todos os impulsos nervosos que aí chegam, são difundidos, em fases sucessivas, pelas várias camadas.

Cont. A Arquitetura Externa do Cérebro
Por: Silvia Helena Cardoso, PhD
Em: Cérebro & Mente

Realização: Núcleo de Infomática Biomédica

Silvia Helena Cardoso, PhD
Correspondência: cerebro@nib.unicamp.br

Copyright 1997 Universidade Estadual de Campinas