Os componentes dos Gânglios Basais


As principais unidades anatômicas dos gânglios basais incluem:

A substância negra e o núcleo subtalâmico estão geralmente incluídos em uma base funcional, enquanto que o núcleo amigdalóide, localizado no lobo temporal, está funcionalmente excluído.
As maiores divisões dos gânglios basais são:
 

Corpo estriado

Constituído por:
Núcleo Caudado (sua cabeça) - uma massa nuclear alongada na forma de um C, constituindo-se de cabeça, corpo e cauda. O caudado (cauda), é separado do tálamo e núcleo lentiforme pela massa de fibra da capsula interna. A cabeça do caudado repousa anteriormente ao tálamo e forma uma saliência dentro do ventrículo lateral. O corpo, por sua vez, se torna mais atenuado para formar a cauda, que segue seu curso ao longo do teto do corno temporal do ventrículo, e termina no núcleo amigdalóide.
 

Putamen -  É a parte mais larga do estriado, compõe a porção externa do núcleo lenticular e é separado do córtex situado mais lateralmente. O putamen é continuo com a cabeça do caudado rostralmente.
 

Seus neurotransmissores incluem: 
Acetilcolina
Dopamina
Serotonina
Ácido gama amino-butírico(GABA)

Tratos convergindo impulsos do globo pálido e estriado à substância negra contém GABA, enquanto tratos carreando impulsos da susbtância negra ao caudado e putamen armazenam dopamina em seus terminais. Isto representa o mais importante recurso de dopamaina no estriado. Falhas na síntese de dopamina na substância negra provoca uma depleçào progressiva desta substância química no caudado e putamen, com o consequente desenvolvimento da Doença de Parkinson.

Núcleo Lentiforme 
(ou núcleo lenticular)

Constituído por:
Globo pálido - O globo pálido está situado medialmente ao putamen e está separado dele por uma fina lâmina de fibras mielinizada chamadas lâmina medualr externa. O globo pálido parece pálido e homogêneo por causa de suas fibras mielinizadas.

Putamen

O termo núcleo "lenticular" ou "lentiform" é aplicado ao putamen e globo pálido juntos por causa de seu formato de lente nas secções cerebrais.

O globo pálido poderá ser dividido em duas partes: o globo pálido medial (GPm) e o globo páido lateral (GPl). Ambos recebem eferências do caudado e putamen, e ambos estão em comunicação com os núcleos subtalâmicos. É o GPm, contudo, que envia a maior aferência inibitória dos gânglios basais de volta ao tálamo. O GPl também envia poucas projeções ao mesencéfalo, presumivelmente para assistir no controle postural.


Substância negra 
Ainda que seja um componente do tronco encefálico, a substância negra está integrada com os gânglios basais por causa de suas conecçòes recíprocas e é funcionalmente relacionada aos gânglios basais.

Ela pode ser dividida em duas partes: a substância negra, parte compacta (SNpc) e a substância negra, parte reticulata (SNpr). A SNpc recebe inputs do caudado e putamen, e envia informações de volta. A SNpr também recebe eferências do caudado e putamen, mas envia-as para o lado de fora dos gânglios basais para controlar os movimentos da cabeça e dos olhos. A SNpc é a que produz dopamina, que é crítica para o movimento normal. Ela degenra na Doença de Parkinson, mas a condição pode ser tratada por administrar precursor oral de dopamina.

Claustrum - Derivado da palavra latina "barreira", é uma fina massa de matéria cinzenta. Ela está localizada medialmente ao córtex insular sobrepondo a superfície lateral do putamen. Ela parece ter amplas conexões recíprocas com áreas sensoriais, particularmente a área visual e a somatosensorial do córtex cerebral via fasciculo de associação na capsula extrema. Ele também recebe eferências do hipotálamo (lateral), tálamo (núcleo centromediano) e do locus ceruleus. Fibras de numerosas áreas corticais terminam em zonas distintas com o claustrum. Então, ela contém discretas zonas somestésicas, visuais e auditivas. O Claustrum não tem projeções subcorticais.


Ainda que existam muitos neurotransmissores nos gânglios basais (principalmente Ach, GABA e dopamina), o efeito do tálamo é inibitório. A função dos gânglios basais é frequentemente descrita como "hipótese do freio". Quando sentado, você coloca os freios sobre todos os movimentos exceto aqueles reflexos que mantém uma postura em pé. Para mover-se, você deve aplicar um freio a alguns reflexos posturais, e liberar o freio sobre o movimento voluntário.

Author: Dr. Silvia Helena Cardoso, PhD. Psychobiologist, master and doctor in Sciences. Post doctoral at University of California, Los Angeles

Center for Biomedical Informatics
State University of Campinas, Brazil

Copyright 1997 State University of Campinas